Conhecendo o Edge Rank do Facebook

Trabalhar com o Facebook está longe de ser uma brincadeira de criança. Tem muita gente séria que dedica seus estudos a compreender as diferentes nuances da rede social. Eu sou uma delas. E hoje quero falar um pouco sobre o Edge Rank.

Trabalha com Facebook e nunca ouviu falar nisso? Sugiro que volte aos estudos, pois o Edge Rank será o responsável pelo seu sucesso, ou fracasso, na rede social.

Mas, o que é esse danadinho? Simples, o Edge Rank é o sistema criado pelo Facebook para “filtrar” o que será exibido na timeline dos usuários. Você já notou que nem tudo que seus amigos postam é exibido na sua linha do tempo? É o sistema operando, tentando mostrar conteúdos que são relevantes para você.

Baseado no seu comportamento na rede o Facebook define o que será exibido na sua linha do tempo, ou seja, se você costuma curtir vídeos, ele mostrará mais vídeos. Se costuma curtir o conteúdo de uma pessoa específica ele exibirá mais conteúdo desta pessoa é assim por diante. Fui claro?

É comprovado que, no geral, páginas conseguem atingir cerca de 12% do seu público com uma publicação. Irei basear esse artigo em páginas pois quem trabalha com Facebook costuma administrar páginas e não perfis. Aliás, preciso escrever um artigo sobre o uso de perfil para divulgar empresas. Mas isso fica para outra oportunidade.

Veja também  Porque você não consegue vender nas redes sociais?

Sabendo deste número, se você tem uma página que tem 10 mil curtidas mas atinge menos de 1000 pessoas com uma publicação isso é indício de problemas com o Edge Rank.

image

Como explorar o Edge Rank

Não existe receita de bolo, alguns dizem que fotos e vídeos são bem vistos pelo Edge Rank, mas eu tenho casos em que obtive um excelente resultado apenas com textos. Ou seja, cada caso requer um sistema de trabalho. O conselho é mesclar diferentes tipos de conteúdo.

É preciso que a página gere engajamento, ou seja, os usuários devem participar e interagir com a página. Curtidas, comentários e compartilhamentos ajudam neste caso. Mas, como obter isso? A palavra é: “o conteúdo é rei”. Conteúdo de qualidade, textos agradáveis, vídeos e a escolha da foto são fundamentais para que os usuários queiram interagir.

Conteúdo exclusivo é outro fator determinante para o aumento do Edge Rank. Acredite o Facebook consegue “perceber” que o conteúdo já foi publicado em outras páginas antes.

Como avacalhar com seu Edge Rank

Melhor do que explicar o que fazer é sempre explicar o que não fazer. Páginas com milhares de usuários conseguem resultados medianos compartilhando artigos com frequência. Porém, páginas pequenas quando inflam a rede com conteúdo tentem a cair no ostracismo em pouco tempo.

Veja também  Como as bolhas de conteúdo influenciam na política

Imagine a cena: você está em um momento de lazer navegando no Facebook. Aquela página que você curtiu porque o primo do seu melhor amigo de infância convidou começa a “entupir” sua timeline com conteúdo (que às vezes bem te interessa). Qual sua reação? Ignorar a publicação, oculta-lá ou até mesmo “deixar de curtir” a página. Este é o principal problema que gera o conteúdo compartilhado em excesso. Mata a página com o tempo, e recuperar-se disso é difícil, para não dizer impossível.

Marcar outros usuários que não tem interesse na sua publicação também faz com que, com o tempo, sua página deixe de ser “relevante”.

Acredito ter me alongado um pouco. Mas é preciso explicar detalhadamente um pouco sobre o uso da rede social. Já que nem sempre um sobrinho “postador” pode resolver o problema com a participação das pessoas em sua página.

Acredite, investir em um profissional é bem melhor. Não é à toa que uma pessoa dedica seus estudos ao uso da rede e ao comportamento do usuário. Ou você deixaria um açougueiro operar sua apêndice? Afinal, ele também sabe cortar carne.

Deixe uma resposta