74 pessoas foram mortas representando uma alta de 48%, estupro e roubos também cresceram em 2017 na cidade de Osasco

A cidade de Osasco terminou o ano de 2017 com alta nos índices criminais como o homicídio, estupro, roubo outros e furto de veículos. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Em 2017, 74 pessoas foram mortas, representando uma alta de 48% levando em conta o número de vítimas que foi de 50 em 2016. O homicídio cresceu 36,73%, de 49 para 67 ocorrências. Em média a cada cinco dias uma pessoa foi morta. Já o estupro cresceu 33,15%, de 181 para 241. Os latrocínios – roubos seguidos de morte – tiveram redução de 33,3%, caindo de 9 para 6.

O roubo outros aumentou 5,58% passando de 9.229 contra 9.744. Em média 26 pessoas foram roubadas. Já os furtos outros teve leve queda de 5,21%, 6.415 versus 6.081. O Roubo de veículos reduziu 21,53%, 2.150 para 1.687. O furto de veículos aumentou 4,49%, 2.984 ante 3.1118. Roubo de cargas diminuiu de 301 para 234, queda de 2,63%.

Veja também  Pela primeira vez no ano, índices criminais apresentam queda em Osasco

As estatísticas criminais são utilizadas para retratar a situação da segurança pública e permitir o planejamento de ações policiais e de investimentos no setor. Em São Paulo, a compilação dos dados é feita pela Secretaria da Segurança Pública, por intermédio da Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) – responsável pela análise dos dados de interesse policial e pela realização de estudos para prevenir e reprimir a criminalidade.

Segundo a SSP, “os dados devem ser interpretados sempre com prudência, pois estão sujeitos a uma série de limites de validade e confiabilidade: eles são antes um retrato do processo social de notificação de crimes do que uma reprodução fiel do universo criminal de um determinado local. Para que um crime faça parte das estatísticas oficiais, são necessárias três etapas sucessivas: o crime deve ser detectado, notificado às autoridades policiais e, por último, registrado no boletim de ocorrência”, explicou a SSP.

Deixe uma resposta